segunda-feira , 18 novembro 2019
Home / CentralSFC / Central São Francisco / O campeão dos campeões

O campeão dos campeões

Um Bate Papo descontraído e curioso com um dos maiores atletas da nossa região, ele é conhecido mundialmente, coleciona títulos, troféus e medalhas, já perdeu as contas do número de vitórias, nosso ilustre entrevistado é:

 

Katão

Quem é Katão?​

Augustinho de Lima Figueiredo, 46 anos natural de Catolândia na Bahia, veio para Barreiras com 1 ano e 2 meses.

Como foi a sua infância? ​

Meu pai era caminhoneiro, eu sempre estudei e brinquei,  com 10 anos eu comecei a trabalhar, eu vendia planta na feira todo sábado,  depois eu fui trabalhar em um supermercado pesando açúcar e farinha, aos 18 eu entrei para o exército em 92, onde eu fiquei 1 ano e 26 dias, o Quarto Batalhão de Engenharia de Construção, 4º BEC me ajudou muito pois me deu uma experiência incrível. Meu pai me deu educação e disciplina e o exército intensificou mais ainda, me ajudou a seguir em frente, dar um rumo na vida, a me organizar, depois do exército eu fui trabalhar em um hotel por 8 anos, e nesse período, eu recebi uma proposta de trocar uma academia em um carro em formosa do rio preto, e então em 99 eu abri a minha primeira academia, eu fiz um curso técnico em Feira de Santana, fiz 3 cursos, um de personal, um de avaliação e um de massa corporal. ​

 

A academia veio antes que o seu exército?​

Eu comecei a treinar através do incentivo de um irmão meu que jogava bola na Associação atlética gaúcha ele sempre me chamava e eu ficava lá com os pesinhos ( na época eu tinha 15 anos) e eu tinha uns pesos em casa sem orientação  nenhuma, o ponta pé inicial foi na academia do meu amigo, então eu devo tudo ao meu irmão ele que me incentivou.

Mas  eu tenho uma grande vantagem, a minha genética é muito boa e isso me ajudou muito na minha vida de atleta estou há mais de 35 anos treinando.

Como você começou a competir? ​

Quando eu abri a academia em 99 e fui fazer o curso e eu encontrei uma atleta, a Marlusse de fisiculturismo e ela me perguntou se eu já tinha competido, e eu disse que não, então ela pediu pra eu tirar a blusa. Ela me  olhou, analisou o meu físico e falou que eu tinha que competir no campeonato baiano, imagina só, conversamos ela me explicou como funcionava por que eu não sabia de nada a respeito,  já que eu moro no interior, e é tudo mais difícil. Na época a gente mandava as fotos pelo correio ela disse que mandaria para o presidente da federação e o presidente, Pavão disse que eu não precisaria ir para o estreante que era para eu ir direto para o campeonato baiano. E eu fui campeão baiano sem fazer dieta, eu não sabia nenhum procedimento ou protocolo. É por isso que eu digo que a minha genética que me ajudou, tinham muitos atletas, com as vasilhas com batata e frango comendo e eu sem nada e por incrível que pareça eu estava com fome e fui para um trailer e pedi um suco de laranja e um misto.

Ai logo em seguida teve a prévia, e um atleta (que eu devo muito, um amigo meu) Miguel Oliveira me chamou para me ensinar a posar e passar uma cor por que eu estava branco, aí ele me levou para a casa dele e me ensinou as poses, todos os toques as comidas.

Então hoje eu devo muito a dois atletas a Marlusse e ao Miguel, eles que me ensinaram tudo. Hoje é fácil, você busca na internet, recebe um protocolo manda as fotos e é avaliado, antigamente não, eu olhava as revistas para copiar os movimentos mas a foto é diferente de como realmente é a pose como você tem que fazer, então pra mim foi muito difícil e como eu morava no interior complicava mais ainda, era na cara e na coragem.

Virou uma paixão e eu digo que é por amor, e tudo que eu tenho hoje eu devo ao fisiculturismo, eu ganhei dinheiro  através do nome que eu consegui fazer através do meu próprio esforço por que eu não consegui nenhum patrocínio e muita força de vontade.

Hoje eu sou 5 vezes Campeão Brasileiro, 4 vezes Campeão Sul-americano, Top 3 do Mundo, Campeonato Baiano eu tenho 12 títulos norte nordeste, eu já ganhei tudo no brasil então hoje eu estou satisfeito com a minha trajetória me perguntam, quando eu vou parar eu digo que não sei por que eu amo esse esporte e esse esporte é pra quem gosta, o atleta do fisiculturismo treina o musculo e faz dieta para subir no palco e competir, pra mostrar o fisico para os árbitros, você não vê um fisiculturista na rua mostrando os músculos, essa é a diferença de um atleta de ponta para um marombeiro, hoje é fácil você identificar um fisiculturista, em qualquer lugar que você for, você vai passar por um jogador de futebol e não vai saber que é um jogador, vai passar por um jogador de basquete, um campeão de atletismo, judô mas quando você ver um fisiculturista você se assusta, você olha para a panturrilha dele, pela largura ,e você já deduz que é um atleta, então o fisiculturista é o único atleta que leva o sucesso com ele que é o seu próprio fisico.

 

Além disso, verifique

Saúde, obrigada!

Uma noite memorável! Ontem na Câmara de Veradores de Barreiras, pela primeira vez foi reunida ...