sábado , 23 junho 2018
Home / CentralSFC / Central São Francisco / Curso de recuperação de nascentes

Curso de recuperação de nascentes

A preservação da água é uma atitude permanente, e para fortalecer essa mobilização social, a Prefeitura de Barreiras por meio da Secretaria do Meio Ambiente e Turismo e instituições parceiras como Instituto Aiba e Abapa estão realizaram durante os dias 02, 03 e 04 de abril, o curso de recuperação de nascentes em Barreiras.
Esse projeto é uma Parceria Público Privado (PPP), e já está sendo executado em outros municípios do Oeste. Os técnicos da Aiba e Abapa estão acompanhando e já comemoram a recuperação de inúmeras nascentes na região. Em Barreiras, a meta é revitalizar de 25 a 50 nascentes, que estão sofrendo com as agressões dos homens, animais e assoreamentos naturais.
De acordo com o secretário de Meio Ambiente e Turismo, Demóstenes Júnior, essa parceria é fundamental para atingir os resultados na recuperação das matas ciliares e, consequentemente, a melhoria da qualidade e do fluxo da água. “Sem mata ciliar, as nascentes podem secar, margens de rios e riachos desabam e a infiltração de água no solo diminui, reduzindo as reservas de água do solo e do lençol freático.

A proposta de revitalização também conta com o suporte do Viveiro Municipal que já produziu milhares de mudas de árvores e plantas nativas do cerrado. O técnico e biólogo Ronaldo Ursulino também aponta como imprescindível o plantio dessas espécies e preservação da mata nativa próximo as nascentes.

Capacitação

O curso de recuperação de nascentes foi iniciado com a parte teórica, o professor e engenheiro agrônomo de Viçosa-MG, Renato Alves Rios, ele apresentou o mapeamento inicial, expôs os métodos mais comuns utilizados na recuperação de nascentes e apresentou a problemática e medidas preventivas que deverão ser implantadas para preservação dos rios perenes.

Na realização prática a equipe foi até a comunidade do Alto da Bela Vista, local onde se encontra uma nascente em propriedade rural. Os técnicos e participantes foram in loco para conhecer a nascente, conversar com os moradores e diagnosticar a área ambiental, constatando que a vazão de água na nascente está insignificante, podendo até ser considerada inativa.
Acompanharam o professor Renato Alves Rios, técnicos da SEMATUR, Aiba, Abapa, UFOB, a ONG Preservar é Vida, INEMA, Zoonoses, Bahia Pesca e Embasa. Após o diagnóstico ficou definido que a revitalização seria pelo método de fonte Caxambú. A área foi isolada num raio de 50 metros, para evitar o acesso de pessoas e animais nas proximidades.
Seguindo a proposta de promover e realizar campanhas de conscientização e também participar de processos de recuperação, proteção e preservação ambiental a ONG Preservar é Vida vem cumprindo o seu papel de responsabilidade socioambiental.

www.preservarevida.org

Além disso, verifique

Conferência Infantojuvenil pelo Meio Ambiente, em Barreiras

No último dia 27 de abril, estudantes, professores e comunidade escolar dos municípios de Barreiras, Formosa ...